2 de dez de 2011

Acostumados

Nos ultimos tempos, tenho visto todo o tipo de coisa, sofrimentos, alegrias, incompreensões e aceitações das pessoas ao meu redor. Parei pra pensar e descobri que as pessoas estão cada dia mais dependentes daquilo com o que elas são acostumadas.

Namoros, casamentos, empregos, roupas... Tudo isso é fruto de algo com o qual nos acostumamos. Não?

Acompanhem o raciocínio. Nos primeiros vinte dias, tudo no trabalho nos atrai, queremos mostrar que somos bons, corremos atráz e fazemos de tudo para mostrar nosso valor e nos juntar a causa. Mas a medida que vamos vivendo todos os dias no mesmo lugar, simplesmente nos acostumamos e entramos em um estado de simplesmente deixar que transcorram os dias, ganhar um aumento aqui, um ali e não temos praticamente nada de novo.

Mesma coisa nas relações e em praticamente tudo na vida.

O problema é quando acontece alguma coisa que corta este vinculo. Somos demitidos, cansamos do emprego, terminamos um namoro. Nessa hora começamos a lembrar da parte boa, dos momentos felizes.

Lembramos principalmente daqueles momentos lá no inicio, quando eramos mais ativos e empenhados.

E estas lembranças fazem com que a gente sofra. Mesmo a gente tendo saido do emprego ou relacionamento porque não aguentava mais o chefe ruim, ou o namorado que só briga, não lembramos do chefe e do namorado assim. lembramos das flores, dos apertos de mão, dos elogios.

Eu acho que as pessoas deveriam ser menos acostumadas. Mais egoistas, pensar mais em si mesmas antes de pensar no bem daquela pessoa com quem se relacionam, na carreira, nas outras coisas. As pessoas esquecem de si mesmas e passam a viver a vida ligadas a relações e a profissão. Esquecem de se empenhar por si próprias. Esquecem que as vezes é melhor ficar sozinho do que sair pra determinado lugar. Esquecem que tudo pode mudar de uma hora pra outra e por isso perdem o chão.

Somente os fortes conseguem acordar no dia seguinte, todo dia e encarar a vida como se fosse um novo dia. Sem lembrar de ontem, dos problemas, e das coisas boas de coisas que já acabaram. Só os mais fortes superam os tombos da vida simplesmente passando por cima deles.

O mais incrivel disso tudo, é que é muito simples ser forte. Assim como os nossos músculos, nossa mente, basta exercitar. Exercitar a essencia de sermos nós mesmos em cada ação. Sem nos importar com o que vai nos acontecer. Agir pela nossa própria personalidade.

E que vão pro inferno os que não gostarem da gente como a gente é. Isso afastará os inimigos e nos deixará mais próximos da felicidade que todos buscamos, diariamente.

E quem conseguir isso, saberá o real sentido de ser feliz, estará cercado das pessoas certas, do emprego certo, do namorado certo.

Exercite o orgulho de si mesmo e de ser quem você é. Acima de TUDO.

Um comentário:

Grazi disse...

que saudade que eu tava de ler teus textos!!